COMO AS TÉCNICAS ENERGÉTICAS DE CURA FUNCIONAM – SOB A VISÃO CIENTÍFICA

Texto traduzido por Eliana Rocca a partir do artigo publicado em Collective Evolution – fonte

A arte curativa do Reiki e outras técnicas energéticas ditas como alternativas, são praticadas e ensinadas em todo o mundo há muitos anos e muitos acreditam que suas origens são tão antigas quanto as dos próprios seres humanos. Com pesquisas científicas que atestam a capacidade dos pensamentos, emoções e intenções humanas de afetar o mundo material físico, um número crescente de cientistas e físicos quânticos em particular, enfatizam a importância de estudar os fatores associados à consciência e sua relação com nosso mundo físico. Um desses fatores é a intenção humana.

Estas técnicas utilizam essencialmente a intenção humana para curar as doenças de outra pessoa. Os praticantes costumam colocar as mãos para canalizar a energia para o indivíduo a ser tratado. Várias técnicas são descritas a grosso modo através da ação mental compassiva e toque físico, como cura energética, cura xamânica, cura a distância, toque quântico, cura quântica, etc.

A popularidade desta prática é exemplificada pelo fato de que, a partir de 2000, existiam mais “curandeiros à distância” no Reino Unido do que terapeutas praticando qualquer outra forma de medicina complementar ou alternativa. E o mesmo vale para os Estados Unidos. (Fonte: Barnes PM, Powell-Griner E, McFann K, Nahin RL. Uso de medicina complementar e alternativa entre adultos: Estados Unidos, 2002. Adv dados. 2004. 27 de maio; ( 343 ): 1-19. [ PubMed ])

Os físicos quânticos têm defendido a eficácia desse tratamento há algum tempo. Por exemplo, Max Planck, o físico teórico que originou a teoria quântica – ganhador do Prêmio Nobel de Física em 1918 – afirmou que “considera a Consciência como fundamental” e “derivado da consciência”. Ele também susteve que  “sobre tudo o que falamos, sobre tudo o que consideramos real, postula a consciência “.

A cura à distância (e cura envolvendo terapias energéticas) envolve fatores associados à consciência.

Eugene Wigner, um conhecido físico teórico e matemático, enfatizou que  “não foi possível formular as leis da mecânica quântica de forma totalmente consistente sem referência à  consciência”.  Richard C. Henry, professor de Física e Astronomia em Johns Hopkins Universidade, leva essa ideia ainda mais adiante em seu artigo “The Mental Universe”, publicado na revista Nature (fonte).:

Uma conclusão fundamental da nova física também reconhece que o observador cria a realidade. Como observadores, estamos pessoalmente envolvidos com a criação de nossa própria realidade. Os físicos estão sendo forçados a admitir que o universo é uma construção “mental”. O físico pioneiro Sir James Jeans escreveu: “O fluxo de conhecimento está indo em direção a uma realidade não-mecânica; o universo começa a parecer mais como um grande pensamento do que uma grande máquina. A mente já não parece ser um intruso acidental no domínio da matéria, devemos chamar isso de criador e governador do domínio da matéria. Supere isso e aceite a conclusão indiscutível. O universo é imaterial – mental e espiritual.

Com tanta evidência para apoiar essas ideias e com tantos estudos publicados sobre o assunto, esse campo continuar sendo visto um tema vergonhoso para muitos na academia geral, é simplesmente inacreditável.

Um estudo publicado no The American Journal of Chinese Medicine, como se observado na Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA (fonte), demonstrou que uma mulher com habilidades especiais foi capaz de acelerar a germinação de sementes específicas para desenvolver um estoque de sementes mais robusto. O estudo determinou que esta mulher foi capaz de induzir as sementes de plantas para desenvolverem brotos e raízes de vários centímetros de comprimento dentro de 20 minutos usando energia qi projetada mentalmente.

Para uma lista de artigos que reportam estudos dos principais fenômenos psíquicos publicados no século 21, você pode clicar AQUI – em Inglês.

Terapias de intenção de cura à distância: uma visão geral da evidência científica

Você sabia que ensaios clínicos testando a eficácia da cura à distância estão sendo realizados desde meados da década de 1990? Um inquérito científico sério tem sido feito e continua até hoje, com a revisão sistemática e meta-analítica, muitas das quais concluíram que quase metade de todos os estudos publicados sobre este tema exibem resultados estatisticamente significativos. Por isso estudos mais aprofundados são urgentemente necessários.

Uma série de estudos envolvendo experiências de cura à distância usando formas de vida simples e animais também relataram resultados estatisticamente significativos, que foram observados em condições aleatórias e cegas que incluem enzimas, fungos, leveduras, bactérias, células cancerosas, glóbulos vermelhos, fibroblastos, células tendinosas, (tenócitos) e células ósseas.

Interações mentais à distância com sistemas vivos

Centenas de experimentos nesta área, que está intimamente relacionada à cura à distância, também foram conduzidos. Esta linha de estudo não está preocupada com a cura, mas sim com a busca de evidências empíricas mensuráveis ​​de que A pode afetar B de qualquer maneira, em vez de se A pode curar B.

Esses estudos investigam a influência da intenção de A no estado fisiológico de B – um processo denominado “intenção remota”. Além disso, examinam a influência da atenção de A no estado fisiológico de B enquanto A olha para B através de um link de vídeo de mão única, chamada “observação remota”. Por último, mas não menos importante, eles estudam a influência da intenção de A na atenção ou comportamento de B, o que é referido como “ajuda remota”.

Os efeitos de interações mentais distantes são medidos usando atividade eletrodermal, frequência cardíaca, pulso de volume sanguíneo e atividade eletrocortical (Eletroencefalograma de atividade eletrodermal , frequência cardíaca, pulso de volume sanguíneo, oxigenação de sangue cerebral e atividade mioelétrica gástrica].

Esses estudos renderam resultados notáveis ​​que desde então foram repetidos com sucesso em laboratórios em todo o mundo.

Uma Visão Geral da Evidência Científica

A cura à distância (ou técnicas energéticas de cura) é muito popular como um método de cura alternativo, mas experimentos científicos até agora não conseguiram produzir resultados clínicos que possam ser avaliados de forma confiável. Como Dean Radin (cientista-chefe do Instituto de Ciências Noéticas) argumenta:

A contradição entre a persistente popularidade e a falta de eficácia clínica pode ser dada, por um lado, a alguns curadores em alguns contextos, que parecem produzir resultados notáveis ​​e, por outro lado, por protocolos convencionais que podem ser incompatíveis com a natureza de Fenômeno de Cura à Distância. As ferramentas devem corresponder aos requisitos do assunto, e se as ferramentas certas não estiverem disponíveis, então novos métodos devem ser planejados. Em outras palavras, não é aconselhável usar uma marreta para estudar a estrutura superficial de uma bolha de sabão.

Por outro lado, as experiências de cura que se relacionam com curas à distância, indicam claramente a existência de interações genuínas entre as pessoas, mesmo estando distantes. Como Dean Radin explica, isso oferece alguns desafios:

Mas a prova de princípio oferecida pelos experimentos de Cura à Distância indica mais claramente a existência de interações genuínas entre pessoas distantes. Isso nos apresenta um enigma baseado em evidências que é digno de consideração séria. No entanto, para muitos pesquisadores, o mero conceito de cura distante continua a suscitar uma resistência significativa por duas razões principais. O primeiro baseia-se no pressuposto de que a “ação à distância” é impossível porque viola uma ou mais leis físicas ou biológicas. O segundo é baseado na suposição baseada na neurociência de que a mente é idêntica ao cérebro, caso em que não faz sentido propor que a atividade cerebral que chamamos de “intenção de cura” possa interagir com qualquer coisa fora do próprio cérebro.

Embora seja bastante claro que a cura à distância ainda não foi comprovada cientificamente, os efeitos, de fato, manifestam mudanças em medidas fisiológicas, credenciando credibilidade em relatos de cura que são bem-sucedidos. O próprio Dean Radin afirma que “as implicações da Cura à Distância para a epistemologia da ciência básica e a ontologia e para os esforços pragmáticos para melhorar a cura da saúde são vastas, profundas e perenemente intrigantes”.

Algumas outras anomalias estranhas reportadas

É interessante considerar quanta investigação científica em fenômenos “psíquicos” foi conduzida pelo Departamento de Defesa dos EUA. Nos Estados Unidos, por exemplo, eles tinham o projeto Star Gate, que durou mais de duas décadas antes de ser fechado inesperadamente. Um dos projetos mais populares dentro desse programa foi visualização remota. De acordo com um relatório desclassificado que já foi publicado em vários jornais:

Para resumir, ao longo dos anos, o vai-e-vem da crítica de protocolos, aperfeiçoamento de métodos e replicação bem-sucedida deste tipo de visualização remota em laboratórios independentes produziu evidências científicas consideráveis ​​para a realidade do fenômeno [visão remota]. Adicionando a força desses resultados foi a descoberta de que um número crescente de indivíduos poderia ser encontrado para demonstrar visualização remota de alta qualidade, muitas vezes para sua própria surpresa. . . . O desenvolvimento desta capacidade no SRI evoluiu para o ponto em que o pessoal visitante da CIA, sem exposição prévia a tais conceitos, apresentou desempenho em condições laboratoriais controladas. (fonte)

É importante deixar claro que os fenômenos psíquicos foram investigados pelos mais altos níveis de governo, e provavelmente ainda são. Quem sabe qual informação desses programas continua sendo mantida em segredo? E por que tantos cientistas tradicionais criticam essa pesquisa quando cientistas que trabalham nos mais altos níveis de governo a estão estudando?

Este tópico despertou o interesse de mais do que apenas agências de inteligência ocidentais, uma vez que a China também trabalha ativamente para identificar indivíduos com capacidades humanas estendidas. Por exemplo, um artigo publicado na República Popular da China em setembro de 1981 na revista Ziran Zazhi (Nature Journal) divulgou  “Algumas Experiências sobre a Transferência de Objetos Realizados por Habilidades incomuns do Corpo Humano” (Shuhuang et al. , 1981) relataram que “crianças superdotadas” podiam teletransportar pequenos objetos físicos de um lugar para outro. (fonte)

Uma publicação intitulada “Funções Excepcionais do Corpo Humano” também faz algumas reivindicações extraordinárias, relatando efeitos parapsicológicos altamente precisos, incluindo clarividência, efeitos psicocinéticos e muito mais. (fonte)

Um relatório publicado em 2010 pelo químico de pesquisa aposentado Dong Shen descreve um experimento que envolve teletransporte mental de pedaços de papel de um recipiente de filme plástico selado. Fascinantemente, esses métodos foram ensinados a outros com uma taxa de sucesso de 40%. (fonte)

“Os resultados das experiências de teletransporte chineses podem simplesmente ser explicados como um fenômeno de consciência humana que de alguma forma atua movendo ou alterando espécimes de teste através de uma 4ª dimensão espacial, de modo que os espécimes possam penetrar nas paredes sólidas / barreiras de seus recipientes sem violá-los fisicamente. “– Eric Davis, Ph.D, FBIS (fonte)

Leitura utilizada e sugerida:

Terapias de intenção de cura à distância: uma visão geral da evidência científica (em Inglês).

Todas as outras fontes são destacadas em todo o artigo.

PARA CONHECER A TERAPIA ATRAVÉS DA CURA QUÂNTICA ESTELAR, MARQUE UM ATENDIMENTO

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s