DUALIDADE E APRENDIZADO

Uma grande parte da humanidade foi levada a crer que tudo o que é caloroso e amoroso é da Luz. E o que é frio e incisivo é das trevas. Principalmente as sociedades ocidentais, que estão acostumadas às imagens de santos e anjos como seres divinos.
Nas culturas orientais, por outro lado, existe uma compreensão maior das forças do universo como sendo dois opostos da mesma energia, devido à compreensão do Tao, que expõe a dualidade em tudo o que existe. Por isso é comum vermos nas culturas orientais, em contraponto às imagens harmoniosas e suaves, imagens de seres ou deuses agressivos e animalescos.

E por esta questão cultural, projetamos imagens de mestres como seres benevolentes, amorosos e acolhedores, que certamente irão preencher aquele vazio do coração. Mas dificilmente conseguimos admitir que esses mesmos mestres de Amor possam assumir posturas rígidas e frias.

O mundo espiritual é tão diversificado quanto o nosso. São diferentes grupos de diferentes origens, com as mais variadas funções, agindo dentro deste planeta e muito além.

Existem diversas consciências e hierarquias espirituais trabalhando neste momento. E para fazer um paralelo entre as diferentes hierarquias terrestres, basta comparar as diferentes funções e suas posturas, ou o que em níveis sutis interpretamos como “energias” amorosas ou frias. Harmônicas a nosso ver, ou não. Os policiais e juristas, por exemplo, são profissionais que, em sua essência assumem uma postura mais séria e fria. E através de seu trabalho estão exercendo um determinado papel com o objetivo de cumprir a lei e fazer o que é justo (dentro do mundo ideal, obviamente). Quando estamos na presença destes profissionais sentimos esta frieza e até um certo desconforto, dependendo do tom de voz e postura que este profissional impõe com sua presença.

Os profissionais da saúde, por outro lado, trazem o arquétipo mais acolhedor e amoroso, para que seus pacientes se sintam confiantes no tratamento e possam ter uma recuperação mais rápida. Normalmente são mais receptivos às nossas queixas, com um tom de voz mais ameno e calmo.

Da mesma maneira, os diferentes níveis hierárquicos espirituais, dependendo de suas atribuições, emitirão energias ou vibrações mais amorosas ou mais frias e rígidas. O que importa é o trabalho que está sendo feito e para isso precisamos deixar de lado a nossa expectativa humana ligada ao amor e às expressões desse tipo de sentimento.

Beijos, abraços, demonstrações de carinho também são artifícios utilizados pelos grupos negativos, para atrair os mais carentes. E justamente os mestres mais “fofos” podem ser os mais ardilosos.

O objetivo do trabalho espiritual sério é fazer cumprir a lei. E muitas vezes não compreenderemos a espiritualidade, pois estaremos julgando os resultados através das nossas referências falhas e expectativas momentâneas.

Mas, e o amor universal e a misericórdia divina? Óbvio que eles existem, mas em um nível além do que conseguiremos enxergar enquanto estivermos olhando para as nossas referências condicionadas. Julgamos muitas vezes uma morte prematura, por exemplo, como injusta. Mas na verdade, aquela alma ascensionou para cumprir um papel maior além da esfera Terrestre. Uma demonstração de amor e misericórdia que provavelmente nunca compreenderemos.

Uma outra questão que devemos prestar atenção quando buscamos orientação espiritual, é nossa própria resistência. Muitas vezes somos impedidos de caminhar, justamente por conta dos contratos e interferências dos nossos próprios obsessores que fazem com que a “energia” de um determinado local ou pessoa não seja compatível com a nossa. O que não significa que aquela “energia” seja negativa, porque seu corpo ou seu sistema reagiu negativamente.

Essa resistência precisa ser analisada com responsabilidade e atenção. Cada um tem um caminho a seguir e o que não foi bom para você num determinado momento, talvez seja no futuro, quando você tiver passado por alguns aprendizados e estiver pronto. Ou, se for compatível com o que a sua alma veio vivenciar neste planeta.

Tudo no universo está em constante movimento, então nunca diga nunca. Se estivermos dispostos a aprender e pedirmos ao universo por esse aprendizado, ele virá. De alguma forma e em algum momento, muitas vezes com um formato diferente do que aquilo que projetamos. Por isso o que importa é a disposição em aprender. E não se contentar com verdades prontas e receitas de bolo.

E não fique impressionado com o termo “obsessores”, pois eles acompanham todo ser humano. Mesmo que o indivíduo seja o mais alto ser de luz, em algum momento ele irá se conectar com alguma energia de raiva, medo, mágoa, atraindo os seres que vibram nesta mesma energia. E, como estamos todos no mesmo barco, vestindo este corpo humano cheio de registros de memórias encarnacionais, cada um de nós carrega um sem-número de obsessores, que estão diretamente conectados aos nossos estados psíquicos e emocionais negativados. Mas por outro lado, também temos os nossos amigos espirituais – mentores, anjos da guarda, guias, etc. – que tentam harmonizar essa equação da dualidade. O que nós entendemos erroneamente como a briga entre a luz e as trevas. Assim, juntos, seguimos aprendendo.

Na verdade, essa briga é interna. Somos nós que equalizamos essas forças dentro de nós, através da compreensão do nosso papel como cocriadores. Criamos a doença, mas podemos criar saúde. Criamos pensamentos de raiva, revolta, medo, mas também podemos criar harmonia e equilíbrio. Basta que cada um assuma essa condição de Cocriador, deixando de colocar nas mãos de terceiros a responsabilidade pela sua realidade.

A partir daí caem as máscaras, as expectativas equivocadas e deixamos de torcer, como num jogo entre times de futebol, pelo time A ou time B. Mas começamos a entender que a dualidade mora dentro de cada um e somos responsáveis por equilibrar essas forças e aprender com elas.  O aprendizado espiritual passa pelo desapego às formas humanas e demonstrações de sentimentos humanos. Os diferentes níveis de consciência que conseguimos alcançar a partir do despertar interno, é imaterial, é multidimensional, é verdadeiramente holístico.

O aprendizado espiritual passa necessariamente pela compreensão da dualidade. Como no filme Aventuras de Pi, o tigre deixa de ser uma ameaça, para se tornar o maior companheiro de Pi. Seu maior desafio, seu maior aprendizado.

Quer saber mais sobre Hiearquias Terrestres? Assista o vídeo de Marcelo Souza:

ÚLTIMOS DIAS PARA FAZER A SUA INSCRIÇÃO PARA O MÉTODO OMROM I – SAIBA MAIS SOBRE O PROCESSO DE DESPERTAR DE CONSCIÊNCIA E CONEXÃO COM SUA EQUIPE ESPIRITUAL.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s