REDEMOINHO CÓSMICO – O FLUXO DA TRANSFORMAÇÃO

Há vários dias estou tentando escrever uma mensagem de final de ciclo e mesmo tentando abordar vários outros temas, meditando, pesquisando, uma mensagem que escrevi há alguns dias não me abandona. Mas para ilustrar inicialmente essa mensagem, peço que assita o seguinte vídeo:

Vídeo sobre a estrutura do Torus e a movimentação do Universo (assita até o final – são só 2 minutinhos e preste atenção aos últimos segundos. A trilha é um pouco irritante, baixe o som e preste atenção na imagem.)

Existem dois princípios herméticos que abordam este tema, tão bem ilustrado pelo Torus:

  1. O princípio da Polaridade: “Tudo é duplo; tudo tem dois polos; tudo tem seu par oposto. Os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau. Os opostos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades; todos os paradoxos podem ser reconciliados.”
  2. O princípio do Ritmo: “Tudo tem fluxo e refluxo; tudo tem suas marés; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medita do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação.”
    1. O ritmo se manifesta entre os dois polos estabelecidos pelo princípio da polaridade. Há sempre uma ação e uma reação manifestadas em todos os tons e fenômenos do Universo. Os sóis, os mundos, os homens, os animais, as plantas, os minerais, as forças, a energia, a mente, a matéria e mesmo o Espírito manifestam esse princípio. O Princípio se manifesta na criação e destruição dos mundos, na elevação e queda das nações, na vida histórica de todas as coisas e finalmente, nos estados mentais do Homem. (Fonte: O Caibalion)

A mensagem que me veio foi a seguinte, que tem a ver com o movimento contínuo de energia que flui de todas as estruturas do Universo, como analogia às transformações que estamos vivendo e iremos experimentar ainda com maior intensidade nos próximos anos:

2019 – Aceleração dos processos. Estamos dentro de um grande redemoinho cósmico. Essa grande movimentação está próxima de criar uma singularidade, um evento onde o tempo não existe. Onde se fundem realidade percebida e realidades paralelas. Hologramas e programas. Tudo se funde antes do final, que será de total transformação.

O momento é de adquirir conhecimento, trabalhar conscientemente para não se deixar levar pela confusão de informações. Já que haverá uma fusão de informações, daquilo que chamamos passado, presente e futuro, será necessário que nos mantenhamos sãos mental, emocional e fisicamente.

O que entendemos por “verdade” virá da movimentação, que fará ruir todas das barreiras da ilusão. Mas a verdade será momentânea, um flash dentro deste turbilhão. Portanto, fique atento às informações para não se deixar enganar.

O apego e o medo serão os responsáveis por criar mais confusão, mais ilusão. Por isso use de sua inteligência para se desvencilhar das armadilhas.

Em termos quânticos, só existem partículas carregadas de informação que agem por ressonância e frequência. O nosso conceito humano de certo x errado é a interpretação da experiência encarnacional baseada em condicionamento, com o único objetivo de facilitar a vida em sociedade. No entanto, esse grande redemoinho que estamos atravessando está criando uma interação rápida entre forças opostas, causando ainda mais choque e conflito.

A luta será interna, pois no externo tudo se transforma e se funde, obedecendo seu próprio ritmo.

Enquanto as partículas estão distantes do núcleo, a percepção que se tem é que a informação se mantém estável. No entanto, quanto mais elas se aproximam do núcleo, funde-se passado, presente e futuro, realidades paralelas, hologramas, luz e sombras. Todos os “programas” se fundem num processo de reciclagem e transformação.

O sofrimento humano virá da oposição à mudança. Do medo de que tudo aquilo que hoje é, nunca tenha sido. Do apego à uma segurança ilusória baseada em uma relação homem + deidade, sendo que tudo, até o mundo espiritual irá passar pelas mesmas transformações. Homens, guias, anjos, mestres. Todos estamos enfrentando as mesmas mudanças frequenciais.

Portanto, compreendam que só existe uma maneira de passarmos pelas próximas etapas. Através da colaboração entre todos os níveis, no entanto, sem dependência, pois cada um, em seu nível consciencial, estará passando por questionamentos internos e transformações.

Lembre-se: a verdade é sempre meia-verdade. A verdade é momentânea. Tudo está em transformação.

Buscando um vídeo que ilustrasse esse movimento, localizei um vídeo do LIGO, que explica a fusão de dois buracos negros, que alteram e “sugam” o tecido do tempo-espaço. Não quero sugerir que iremos passar por esse evento em breve, mas sugerir sim, que o nosso Universo e nossa Galáxia estão passando por grandes transformações, que afetarão a vida na Terra e a percepção que temos a respeito da interação entre as forças que regem nossa existência.

Esta simulação de computador mostra a deformação do espaço e tempo em torno de dois buracos negros que colidem, observados pelo LIGO em 14 de setembro de 2015. O LIGO detectou ondas gravitacionais geradas por essa fusão de buracos negros – o primeiro contato da humanidade com ondas gravitacionais e colisões de buracos negros. Ondas gravitacionais são ondulações na forma de espaço e fluxo de tempo.

A superfície colorida é o espaço do nosso universo, visto de um universo hipotético, plano e de dimensão superior, no qual nosso próprio universo está inserido. Nosso universo parece uma folha bidimensional deformada porque uma de suas três dimensões espaciais foi removida. Em torno de cada buraco negro, o espaço se inclina para baixo em forma de funil, uma deformação produzida pela enorme massa do buraco negro. Perto dos buracos negros, as cores representam a taxa na qual o tempo flui. Nas regiões verdes fora dos buracos, o tempo flui em sua taxa normal. Nas regiões amarelas, ela é reduzida em 20 ou 30%. Nas regiões vermelhas, o tempo é extremamente lento.

Longe dos buracos, as faixas azul e roxa retratam ondas gravitacionais extrovertidas, produzidas pelo movimento orbital e colisão dos buracos negros. O espaço do nosso universo, visto do universo hipotético da dimensão superior, é arrastado pelo movimento orbital dos buracos negros e pela sua gravidade e pelas suas rotações. Este movimento do espaço é representado por setas prata, e faz com que o plano da órbita ocorra gradualmente, como visto no vídeo. Os números superiores à esquerda mostram o tempo, medido por uma pessoa hipotética perto dos buracos negros (mas não tão perto para que o tempo seja deformado). A parte inferior do filme mostra a forma de onda, ou forma de onda, das ondas gravitacionais emitidas. As ondas gravitacionais transportam energia, fazendo com que os buracos negros espirrem para dentro e colidam. O filme muda para câmera lenta à medida que a colisão se aproxima e é pausado no momento em que as superfícies dos buracos negros (seus “horizontes”) se tocam. Na pausa, o espaço é enormemente distorcido. Depois da pausa, novamente vista em câmera lenta, as formas do espaço e do tempo oscilam rapidamente, mas de forma selvagem, e depois se acomodam no estado inativo de um buraco negro fundido. Voltando ao movimento rápido, vemos as ondas gravitacionais da colisão, propagando-se para o universo.

A colisão e as oscilações selvagens constituem uma “tempestade” no tecido do espaço e do tempo – uma tempestade enormemente poderosa, mas breve. Durante a tempestade, a potência em ondas gravitacionais é muito maior do que a luminosidade de todas as estrelas do nosso universo observável juntas. Em outras palavras, essa colisão de dois buracos negros, cada um do tamanho de uma grande cidade na Terra, é a explosão mais poderosa que os astrônomos já viram, além do nascimento do nosso universo no Big Bang. Esta simulação foi criada pelo projeto SXS (Simulando eXtreme Spacetimes) (http://www.black-holes.org ). Crédito: SXS

A mensagem final é para que todos possamos compreender que há naturalmente uma ordem que se estabelece através da movimentação, do fluxo. E tudo estará bem enquanto existir compreensão e conscientização desses processos. Não existe medo fora. O medo é o resultado da não aceitação às mudanças, da atividade mental que cria só dúvida e resistência. A vida se renova, se refaz a cada momento.

Então, saibamos viver o momento presente, usufruindo com toda a força do nosso ser da integração com o Todo, desta força transformadora e renovadora da qual todos fazemos parte. E nos tornando mestres de nós mesmos para que não sejamos “sugados” por forças opostas, que desejam impedir a nossa ascensão, nosso despertar consciencial, nossa jornada em direção à Fonte.

E para finalizar, que tenhamos a compreensão do Princípio de Causalidade: “Toda Causa tem seu Efeito; todo Efeito tem sua Causa. Todas as coisas acontecem de acordo com a Lei. O Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei.”

*A imagem de destaque se refere a uma ilustração de Havona, o Universo Central, centro de emanação de todas as formas de radiação e campos energéticos para a sustentação da Vida. É um portal que se desdobra para outros Universos e para a Fonte que Tudo É.

O centro do Torus, de onde viemos e para onde retornaremos.

Texto escrito por Eliana Rocca – ao compartilhar, não altere o texto e cite a fonte.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s